• Assessoria de Comunicação

DESMASCARANDO O GOLPE DA REFORMA DA PREVIDÊNCIA



Impressiona o empenho do governo Michel Temer em difundir tantas mentiras, através de propagandas governamentais, a um custo aproximado de R$ 20 milhões (que inclusive são pagas com dinheiro público, ou seja, nosso dinheiro), para tentar convencer os brasileiros que existe um déficit na Previdência Social. Está mais que provado que isso não é verdade.

A verdade é que o governo quer cobrar do povo brasileiro uma dívida feita por ele mesmo, para pagar suas dívidas e cobrir outros rombos oriundos da má administração do dinheiro público e, claro, da corrupção.

Além disso, há o compromisso com banqueiros, um dos maiores parceiros do governo federal, e com grandes corporações privadas.

Há mais malandragem nessa reforma do que sonha nossa vã imaginação...

Nem mesmo a maioria dos próprios deputados estão tendo coragem de apoiar esse verdadeiro golpe do governo Temer contra os trabalhadores. Afinal, ano que vem é ano eleitoral. E os parlamentares sabem que quem votar a favor da Reforma da Previdência correm sério risco de não serem reeleitos.

“Os números parecem tão suspeitos quanto o empenho do governo em aprovar, no Congresso, a Medida Provisória nº 795/17, que reduz impostos para as petroleiras até 2040 e geraria renúncia fiscal de 40 bilhões por ano, ou 1 trilhão em 25 anos, segundo um estudo da Consultoria Legislativa da Câmara dos Deputados”, informa matéria publicada no site da revista Carta Capital, no dia 07/12/2017.

O relatório final da CPI da Previdência, presidida pelo senador Paulo Paim (PT-RS), apresentado no dia 23/10/2017 pelo senador e relator Hélio José (PROS-DF), e que investigou as contas do seguro social no País, é taxativo ao afirmar que “tecnicamente, é possível afirmar com convicção que inexiste déficit da Previdência Social ou Seguridade Social”, conforme divulgado pelo jornal Folha de S. Paulo no mesmo dia 23/10/2017.

A mesma opinião tem a ONG Auditoria Cidadã da Dívida, que investiga a questão da dívida pública. Sua coordenadora nacional, Maria Lúcia Fattorelli Carneiro, proferiu importante palestra no auditório do Sindicomunitário-SP, no dia 22/09/2017, onde provou por “A + B” que esse tal déficit é mais um engodo do governo federal para, mais uma vez, fazer os trabalhadores pagarem a conta de sua irresponsabilidade e má gestão do dinheiro público.

Entre suas alegações, Maria Lucia afirma que “O ‘déficit’ é fabricado por meio de conta distorcida que afronta a CF”, e que “O governo compara apenas a receita do INSS e não considera todas as fontes de recursos da Seguridade Social (COFINS, CSLL, PIS, PASEP, contribuições sobre Loterias, prod. Rural, Importações etc.)”, entre diversos outros argumentos, tais como diversas leis, emendas e Medidas Provisórias que sucateiam nossa economia e beneficiam bancos e grandes corporações (veja AQUI a apresentação, na íntegra, da palestra de Maria Lucia Fattorelli).

O Sindicomunitário-SP é radicalmente contra essa maldade e, inclusive, já enviou ofício aos deputados federais pedindo a eles que não apoiem mais esta medida que só vem lesar, novamente, a classe trabalhadora.

“Esta casa já aprovou o desmonte trabalhista com a votação, aprovação e sanção

da Reforma Trabalhista, e agora vem novamente atentar contra os trabalhadores que por mais que se esforce sempre é prejudicado”, diz um trecho do documento assinado pelo presidente do Sindicomunitário-SP, José Jailson, e pelo assistente jurídico João Paulo Lemos. “Pedimos, para tanto, que vote com consciência, e que de fato represente nesse ato e nessa votação a população e os trabalhadores de todo Brasil. Visando o princípio basilar Constitucional que nada mais é que a ‘Dignidade da Pessoa Humana’”, conclui.

Alguns deputados já responderam o ofício, inclusive, no dia seguinte.

“Reafirmamos nossa postura contrária a essa maldade (mais uma) contra nossos trabalhadores. Ao longo de nossos oito mandatos consecutivos sempre estivemos ao lado do trabalhador, do idoso, aposentado e pensionistas e principalmente ao lado do cidadão votando contra todas as reformas, sejam elas FHC, Lula e Dilma que massacram o já massacrado trabalhador”, respondeu o deputado federal Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP).

“Meu voto será contra esse texto da Reforma da Previdência que está tramitando na Câmara dos Deputados”, prometeu o deputado federal Andres Sanchez (PT-SP) em sua resposta.

Confira, nos links a seguir, as diversas argumentações de especialistas e matérias publicadas pela imprensa nacional, que desmascaram mais essa mentira do governo Michel Temer e por que devemos nos mobilizar com toda nossa força e nunca mais votar em nenhum político ou candidato que seja a favor desse verdadeiro crime contra a classe trabalhadora.

- Novo texto de Reforma da Previdência é um "Black Friday" sobre direitos

“A nova proposta de reforma da Previdência Social é apenas uma maquiagem, uma tentativa de esconder as reduções de direitos e de dificultar a adesão à aposentadoria. O novo texto tem apenas mudanças cosméticas, revelando uma maneira de dificultar o acesso às aposentadorias e prejudicar quem está no mercado de trabalho’, escreve Paulo Pereira da Silva, o Paulinho da Força, presidente da Força Sindical, em artigo publicado no site da centra sindical em 23/11/2017.

- Ex-ministro da Previdência sobre reforma de temer: “O maior ataque é às mulheres”

Jornal dos Agentes de Saúde do Brasil (MNAS) - Em matéria publicada ainda em dezembro de 2012 (sic), Ministro da Previdência da ex-presidenta Dilma Rousseff, Carlos Gabas criticou a reforma da Previdência anunciada pelo governo Michel Temer. “É um saco sem fundos de maldades”, diz em vídeo.

Vale lembrar que a categoria dos agentes comunitários de saúde é formada por mais de 90% por mulheres.

- "Não há déficit." Felipe Pena entrevista especialista em Previdência Social

Nesse vídeo, o jornalista Felipe Pena entrevista a coordenadora nacional da ONG auditoria Cidadã da Dívida, Maria Lúcia Fattorelli, que explica porque esse déficit foi “fabricado’ pelo governo federal.

- "Não existe déficit na Previdência", afirma auditor fiscal

Henrique Freitas é auditor fiscal da Receita Federal e Presidente do Sindifisco Nacional no RN. Em seminário realizado em Natal no dia 30 de janeiro, ele mostrou dados que comprovam a farsa do "rombo" na Previdência, tão alardeado pelo governo Temer para justificar uma reforma que acaba com a aposentadoria dos trabalhadores.

- Relatório final da CPI da Previdência afirma que déficit não existe

Matéria publicada no jornal Folha de S. Paulo em 23/10/2017.

- Em Caruaru, ex-ministro Carlos Gabas critica reforma da Previdência e defende eleições diretas

Para Carlos Gabas, que foi ministro nos governos de Lula e Dilma, medidas anunciadas pelo atual governo desmontam o sistema da Previdência Social. Ele disse estar confiante que a reforma não passará no Congresso Nacional. O ex-ministro também falou em golpe e defendeu eleições diretas para presidente da República.

- As armadilhas da proposta de Temer para a Previdência

Matéria publicada na revista Carta Capital, e em seu site, no dia 07/12/2017, que aponta diversos mecanismos, ou “pegadinhas”, no texto da PEC (Proposta de Emenda à Constituição) 287/2016, que esmiúça a Reforma da Previdência, que retiram diversos benefícios do trabalhador,

LINKS RELACIONADOS

- Apresentação (Power Point) – Maria Lucia Fattorelli Carneiro, da Ong Auditoria Cidadã da Dívida

- AFINAL DE CONTAS, A PREVIDÊNCIA SOCIAL É OU NÃO DEFICITÁRIA?

#Previdência #ReformadaPrevidência #MichelTemer #ContraaReformadaPrevidência #JoséJailson #imprensa

0 visualização

© 2017 por David Paiva

Av. Prestes Maia, 241 - 43º andar - Conj. 4301 - Vale do Anhangabaú/SP CEP 01031-001 -  (11) 3313-7495 ou (11) 3311-8521