• Assessoria de Comunicação

PALAVRA DO PRESIDENTE - Sindicomunitário-SP apoia a greve na educação



Professores das redes estadual e municipal e das universidades federais de todo País decidiram realizar uma greve nacional unificada da Educação em protesto contra a reforma da Previdência do governo Bolsonaro e contra o corte de verbas para a Educação. Professores e alunos da rede particular também devem aderir ao movimento.


De início, a mobilização previa envolver apenas a rede pública, mas a rede privada decidiu aderir após o governo anunciar um corte de 30% nas verbas para o setor, que afetará principalmente as universidades federais e programas de pesquisa. Em relação à reforma da Previdência, o ato irá protestar contra a proposta de uma idade mínima nas aposentadorias de todos os trabalhadores, incluindo os educadores, que seria de 60 anos.


No caso de quem está no estado ou na prefeitura, já existe um limite mínimo de idade, mas que agora passará a ser de 60 anos para homens e mulheres. Serão necessários, no mínimo, 30 anos de contribuição, sendo dez no serviço público e cinco no cargo. Já para os docentes da rede privada, não existia essa idade mínima. Mas agora, pela proposta do governo, eles também deverão obedecer as mesmas regras dos profissionais da rede pública.


O que o governo Jair Bolsonaro está fazendo é uma verdadeira perseguição. Não é cortando verbas da Educação que o ensino público irá melhorar. Pelo contrário, só irá piorar o que já não está muito bom. Os professores brasileiros têm todo nosso apoio. O presidente precisa entender que os brasileiros não querem também essa reforma da Previdência que só prejudicará a população mais pobre.


José Jailson da Silva - Presidente do Sindicomunitário-SP

© 2017 por David Paiva

Av. Prestes Maia, 241 - 43º andar - Conj. 4301 - Vale do Anhangabaú/SP CEP 01031-001 -  (11) 3313-7495 ou (11) 3311-8521